domingo, 6 de novembro de 2011

Dia comum demais para os pensamentos ( Crônica )


Sempre que estou esperando nos pontos de realidade da minha vida entro em uma camada de anti-realidade. Ou talvez pareça real no meu mundo imaginativo. Os mais "chegados" sabem que tenho o dom de me distanciar dos outros para estar próximo de mim.

Em um dia tão comum estar distante fez algo muito bom estar próximo.

Diversas vezes imaginava que alguma sorte do acaso viria em minha direção, eu sempre mantenho o olhar à minha frente. Em um dia tão comum a separação da minha anti-realidade foi quebrada por uma sonhativa que veio do lado em que eu não enxergaria, atrás. Veio até mesmo de sua direção contrária, pelo menos da que eu esperaria. O gesto simples do meu pensar, se uniu ao teu pensamento articulado.

O bom é saber que ainda passou ao meu lado como o vento passaria feliz entre o espaço deixado por vales em montanhas. Sem monstros para enfrentar ou olhar, apenas flutuaria em sua rapidez tão objetiva.

O estranho foi ter certeza que aquele aroma de brisa doce era seu, sem saber como era o cheiro de brisa.

A direção que eu sempre fico, o espaço que sempre deixo. Tudo aconteceu para entender que o que é bom de verdade nunca será programado. Foi da forma que eu nunca esperaria, vindo até de uma direção contrária. O bom sempre dará um jeito de surpreender.
..