quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Refúgios

"Eu estou saindo de minha "prisão"
E estava me saindo bem
Devo, devo estar tendo uma recaída
Porque eu quero isso tudo"
 
Nós sempre precisamos de algum refúgio quando precisamos nos encontrar, pensar...apenas dar um tempo.
Uma pausa na nossa vida cotidiana. Isto está perfeitamente aceito, saudável e necessário para qualquer pessoa. 

Agora o meu refúgio se torna a vida, o que deveria ser passageiro é mais duradouro do que sempre precisou ser, em um espaço ilusório que retira as chances verdadeiras de vida, suga cada segundo que corre lá fora, enquanto eu apenas estou aqui com as cortinas fechadas.
Já sinto um sufocar em olhar para as listras azuis e brancas, seu desbotado, seus furos suas pontas retorcidas... lembro bem quando eu imaginava que a vista que eu teria a cada dia num futuro seria diferente, seria cada dia vivido, nem sei quando que um lugar que deveria ser paciente e tranquilo agora é tão agonizante.

O refugio agora é a prisão sem grades, sem portas, e com as janelas tapadas. O mundo que está lá do lado de fora, parece tão inacessivel, distante demais. A verdade é que ele está simplesmente atras da cortina!

O tédio, a solidão nunca foram tão amigaveis neste espaço. Chegam a ludibriar e saudar com tanto apreço que parecem realmente boas pessoas e tão confiáveis. 

Me induzem a não pensar em querer ou fazer, apenas ficar e apreciar estes momentos ilusórios, tão magnificos e melancólicos. 

O fato é que preciso de chaves, um molho estaria bom, afinal achar a chave para estas fechaduras pesadas e enferrujadas não é tarefa fácil. Ou apenas pareça não ser fácil. Se eu gritar com toda minha força o aço pode enfraquecer e ajudar. Pelo menos seria uma vontade expressada. Gritar.

Eu tenho de sair daqui, a verdade é que não sei como fazer. Preciso respirar de verdade.

"Mas é apenas o preço que eu pago
O Destino está me chamando
Abra meus olhos desconfiados
Porque eu sou o Sr.Otimismo"
(Mr. Brightside - The killers)

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

be Myself

Por toda a capacidade que de mim tinha sido retirada,
por todo o pedaço do meu coração que antes fora arrancado,
por toda a palavra que da minha boca não saia som.

Agora eu tenho de te agradecer

Por cada susurro que me impediste de ouvir,
por cada cor que eu vi monocromática,
por cada suplementação que me ofereceste.

Tornei-me mais forte, eu te agradeço

Por cada segundo que eu não pude observar uma folha cair,
por cada gesto seu que eu esperei , e não recebi,
por cada seu que não foi realmente meu

Tornei-me mais focado

Por dias de sol que não tive vontade de ver o mar,
por dias de chuva que não tive vontade de sentir no rosto,
por cada passo que deixei de dar em uma poça de água.

Tornei-me mais sensível

Por cada pensamento que eu perdi,
cada momento que eu não vivi,
cada experiência que não aproveitei

Eu realmente te agradeço, tornei-me mais culto

Por cada dia meu que tornei teu,
por cada labio meu que tocou o teu,
por cada toque meu que teu corpo acolheu

Tornei-me eu mesmo de novo, agora sinto esta força tão incrível.
Sinto vontade de sentir e querer novamente. Sinto olhar e observar. Sinto o andar e o caminhar.
Sinto delinhar e desejar.

Eu sinto, eu mesmo. Como nunca senti antes.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Violin

Sempre imaginei que uma paixão verdadeira seria logo no primeiro olhar.
Sempre soube que havia algo magnífico nesse instrumento, quando eu o olhava em alguma vitrine, suas curvas e beleza me chamavam para o apreciar e desejar. Como uma leve atração magnética, por segundos eu perdia o mundo em minha volta, e apenas via aquele mundo na minha frente.

Quando em concertos em praças, eu pude ouvir seu som, parecia susurrar aos meus ouvidos, meu coração tremia junto com a vibração das cordas, meu corpo todo cintilava. Ainda assim não havia te encontrado.

Quando menos esperei, um grande amigo me chamou e mostrou aquele pequeno estojo. Quando abriu o estojo o instrumento simples e de aprendiz, que ali dentro estava parecia falar comigo. Acho que nunca tive sensação melhor, ao segura-lo em meus braços e movimentar o arco, meu corpo todo simplesmente podia sentir o som, era como se fosse parte de mim. Eu nem sabia que som havia feito, mas foi o som mais perfeito que já ouvi.

aquele susurro em meu ouvido, ultrapassou por todo o meu corpo. Como se tocasse cada parte de mim,  meus olhos também falaram o que eu não conseguia falar por minha boca, era mais forte que qualquer sentimento. Os olhos agora deixavam as palavras escorrerem em lágrimas e eu movia o arco mais uma vez, pois podia ouvir falor comigo. Sua delicadeza, sussurro e toque eram fascinantes. Eu realmente me apaixonei.

Percebi que o amor que viria após a paixão seria logo no primeiro susurrar.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

You could be happy


Estas tardes que se findam nestes tons avermelhados, insistem em partir.
O contraste da escuridão que é deixada se torna mais belo do que antes o sol quente mostrava.

Todas as cores que simplesmente insistem em existir e berrar aos meus ouvidos, eu simplesmente hoje não quero ouvir você.Não sei se as cores são realmente tão reais.
Naquele lugar escuro onde apenas insistia em estar escondido, percebia que era mais eu do que poderia ser. A melodia tristonha que timbrava pelas cordas do velho violino também era real, assim como a fraca luz do castiçal insistindo em quebrar a escuridão que me deixava tão alegre. As coisas sempre vêm insistindo contra mim. Não quero mais sentir aquele cheiro que não sai do meu peito latejante. Nem mesmo sei de onde vem, mas apenas vem e me envolve como uma carícia em meu rosto.

E pelo mais curto momento, tudo não é verdade.
..