quinta-feira, 3 de junho de 2010

O que foi parte e fato

Lembro me que antes acontecia com calma e ternunara,
chamas intensas que nasciam e me brilhavam os olhos.
Lembro me que o simples canto era melodia incrível ao meu tom.
Também aconteciam paradas no tempo, sensações de mato molhado
entre os dedos, Lua no céu.


Lembro que um dia o tempo parou e girou em minha volta, e nesse momento,
eu me queimava nas pontas dos dedos novamente, que tinha vontade de escrever
em pedras para que fosse eterno, quando na verdade nem mesmo existia.

Lembro que simplesmente por ser tão bela , a imagem se distorcia e achava o lugar mais
longe dentro do meu peito, me estremecia. As âncias eram contínuas, os medos eram grandes,
as pressas eram rápidas demais pra mim, que eu nem mesmo cheguei uma vez a parar.
Mas de tudo eu tinha tudo, meu coração era chama, e orvalho.

Lembro que o rosto junto era na verdade a vontade de juntar o coração, e não somente o rosto, que se
separou com lagrima e incompreensão. A vontade de ser primeiro era esperada demais, que veio à mim,
de uma forma tão simples, o lábio que cerrado se encontrava, devagar se acostumava com aquele lugar
vazio demais, mas ainda era quente e aconchegante.

Cada som de sino , se fazia mais inaudível e esquecido por cada segundo que se respirava.. talvez a vida não fosse tão como aquele soar tão esperado. Apenas se ouviam barulhos, tão confuso, tão estranho.. tão imerso.

Lembro me da vontade e da sinceridade que existia, também dos abraços mal dados, e desajeitados demais para se abraçar...

Também foram muitos dias esperando, apenas por um medo simples e irrisório de errar , novamente, mas esse foi o erro, que se tornou prova, nem sei mesmo o que aquele momento me fez provar...

Hoje o que era fogo  congelou e se tornou vazio, tão frio e vazio que os lábios secam pela ansia de se cortar.
Aquela mesma chama, é discernimento, analizes, probabilidades. Se considerada falha, a tentativa se torna até mesmo desnecessária. O resultado se torna previsivel demais
..