quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Refúgios

"Eu estou saindo de minha "prisão"
E estava me saindo bem
Devo, devo estar tendo uma recaída
Porque eu quero isso tudo"
 
Nós sempre precisamos de algum refúgio quando precisamos nos encontrar, pensar...apenas dar um tempo.
Uma pausa na nossa vida cotidiana. Isto está perfeitamente aceito, saudável e necessário para qualquer pessoa. 

Agora o meu refúgio se torna a vida, o que deveria ser passageiro é mais duradouro do que sempre precisou ser, em um espaço ilusório que retira as chances verdadeiras de vida, suga cada segundo que corre lá fora, enquanto eu apenas estou aqui com as cortinas fechadas.
Já sinto um sufocar em olhar para as listras azuis e brancas, seu desbotado, seus furos suas pontas retorcidas... lembro bem quando eu imaginava que a vista que eu teria a cada dia num futuro seria diferente, seria cada dia vivido, nem sei quando que um lugar que deveria ser paciente e tranquilo agora é tão agonizante.

O refugio agora é a prisão sem grades, sem portas, e com as janelas tapadas. O mundo que está lá do lado de fora, parece tão inacessivel, distante demais. A verdade é que ele está simplesmente atras da cortina!

O tédio, a solidão nunca foram tão amigaveis neste espaço. Chegam a ludibriar e saudar com tanto apreço que parecem realmente boas pessoas e tão confiáveis. 

Me induzem a não pensar em querer ou fazer, apenas ficar e apreciar estes momentos ilusórios, tão magnificos e melancólicos. 

O fato é que preciso de chaves, um molho estaria bom, afinal achar a chave para estas fechaduras pesadas e enferrujadas não é tarefa fácil. Ou apenas pareça não ser fácil. Se eu gritar com toda minha força o aço pode enfraquecer e ajudar. Pelo menos seria uma vontade expressada. Gritar.

Eu tenho de sair daqui, a verdade é que não sei como fazer. Preciso respirar de verdade.

"Mas é apenas o preço que eu pago
O Destino está me chamando
Abra meus olhos desconfiados
Porque eu sou o Sr.Otimismo"
(Mr. Brightside - The killers)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

..