sábado, 27 de março de 2010

Um pedaço da torta

O que deve pensar, no que deve se espelhar, se torna reflexo simples

Dentro disto tive mais uma certeza, que meu coração não se faz em pedaços ou em porções de ternura, ou seja inteiro ou não consegue ser.

Simplesmente não se tem motivo para dividir e quebrar o que se tem por molécula ou pedaço inteiro, a necessidade do inteiro, não se supre por divisão ou se mantém contido em apenas pensamentos.

Se o teu olhar de palavras, não me deixa os olhos, meias palavras não podem me bastar.
Se a força do teu toque, não me pesa, leveza ou indecisão, não podem me bastar.
Se apenas o que eu falar a ti, seja curto e educado, ou até previsivel, o meu peito se explode.
De maneira simples, mas é mais real.
O que se toca e se sente, na verdade é projeção do que se quer em apenas um olhar dizer, ouvir,
Declarar.

O gosto, talvez insistido não veio apenas por calor, mas se tornou frio, como senti meu peito.


Não sendo inteiro, apenas se desfaz, como cinza que cai do meu fogão.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

..