quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Refúgios

"Eu estou saindo de minha "prisão"
E estava me saindo bem
Devo, devo estar tendo uma recaída
Porque eu quero isso tudo"
 
Nós sempre precisamos de algum refúgio quando precisamos nos encontrar, pensar...apenas dar um tempo.
Uma pausa na nossa vida cotidiana. Isto está perfeitamente aceito, saudável e necessário para qualquer pessoa. 

Agora o meu refúgio se torna a vida, o que deveria ser passageiro é mais duradouro do que sempre precisou ser, em um espaço ilusório que retira as chances verdadeiras de vida, suga cada segundo que corre lá fora, enquanto eu apenas estou aqui com as cortinas fechadas.
Já sinto um sufocar em olhar para as listras azuis e brancas, seu desbotado, seus furos suas pontas retorcidas... lembro bem quando eu imaginava que a vista que eu teria a cada dia num futuro seria diferente, seria cada dia vivido, nem sei quando que um lugar que deveria ser paciente e tranquilo agora é tão agonizante.

O refugio agora é a prisão sem grades, sem portas, e com as janelas tapadas. O mundo que está lá do lado de fora, parece tão inacessivel, distante demais. A verdade é que ele está simplesmente atras da cortina!

O tédio, a solidão nunca foram tão amigaveis neste espaço. Chegam a ludibriar e saudar com tanto apreço que parecem realmente boas pessoas e tão confiáveis. 

Me induzem a não pensar em querer ou fazer, apenas ficar e apreciar estes momentos ilusórios, tão magnificos e melancólicos. 

O fato é que preciso de chaves, um molho estaria bom, afinal achar a chave para estas fechaduras pesadas e enferrujadas não é tarefa fácil. Ou apenas pareça não ser fácil. Se eu gritar com toda minha força o aço pode enfraquecer e ajudar. Pelo menos seria uma vontade expressada. Gritar.

Eu tenho de sair daqui, a verdade é que não sei como fazer. Preciso respirar de verdade.

"Mas é apenas o preço que eu pago
O Destino está me chamando
Abra meus olhos desconfiados
Porque eu sou o Sr.Otimismo"
(Mr. Brightside - The killers)

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

be Myself

Por toda a capacidade que de mim tinha sido retirada,
por todo o pedaço do meu coração que antes fora arrancado,
por toda a palavra que da minha boca não saia som.

Agora eu tenho de te agradecer

Por cada susurro que me impediste de ouvir,
por cada cor que eu vi monocromática,
por cada suplementação que me ofereceste.

Tornei-me mais forte, eu te agradeço

Por cada segundo que eu não pude observar uma folha cair,
por cada gesto seu que eu esperei , e não recebi,
por cada seu que não foi realmente meu

Tornei-me mais focado

Por dias de sol que não tive vontade de ver o mar,
por dias de chuva que não tive vontade de sentir no rosto,
por cada passo que deixei de dar em uma poça de água.

Tornei-me mais sensível

Por cada pensamento que eu perdi,
cada momento que eu não vivi,
cada experiência que não aproveitei

Eu realmente te agradeço, tornei-me mais culto

Por cada dia meu que tornei teu,
por cada labio meu que tocou o teu,
por cada toque meu que teu corpo acolheu

Tornei-me eu mesmo de novo, agora sinto esta força tão incrível.
Sinto vontade de sentir e querer novamente. Sinto olhar e observar. Sinto o andar e o caminhar.
Sinto delinhar e desejar.

Eu sinto, eu mesmo. Como nunca senti antes.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Violin

Sempre imaginei que uma paixão verdadeira seria logo no primeiro olhar.
Sempre soube que havia algo magnífico nesse instrumento, quando eu o olhava em alguma vitrine, suas curvas e beleza me chamavam para o apreciar e desejar. Como uma leve atração magnética, por segundos eu perdia o mundo em minha volta, e apenas via aquele mundo na minha frente.

Quando em concertos em praças, eu pude ouvir seu som, parecia susurrar aos meus ouvidos, meu coração tremia junto com a vibração das cordas, meu corpo todo cintilava. Ainda assim não havia te encontrado.

Quando menos esperei, um grande amigo me chamou e mostrou aquele pequeno estojo. Quando abriu o estojo o instrumento simples e de aprendiz, que ali dentro estava parecia falar comigo. Acho que nunca tive sensação melhor, ao segura-lo em meus braços e movimentar o arco, meu corpo todo simplesmente podia sentir o som, era como se fosse parte de mim. Eu nem sabia que som havia feito, mas foi o som mais perfeito que já ouvi.

aquele susurro em meu ouvido, ultrapassou por todo o meu corpo. Como se tocasse cada parte de mim,  meus olhos também falaram o que eu não conseguia falar por minha boca, era mais forte que qualquer sentimento. Os olhos agora deixavam as palavras escorrerem em lágrimas e eu movia o arco mais uma vez, pois podia ouvir falor comigo. Sua delicadeza, sussurro e toque eram fascinantes. Eu realmente me apaixonei.

Percebi que o amor que viria após a paixão seria logo no primeiro susurrar.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

You could be happy


Estas tardes que se findam nestes tons avermelhados, insistem em partir.
O contraste da escuridão que é deixada se torna mais belo do que antes o sol quente mostrava.

Todas as cores que simplesmente insistem em existir e berrar aos meus ouvidos, eu simplesmente hoje não quero ouvir você.Não sei se as cores são realmente tão reais.
Naquele lugar escuro onde apenas insistia em estar escondido, percebia que era mais eu do que poderia ser. A melodia tristonha que timbrava pelas cordas do velho violino também era real, assim como a fraca luz do castiçal insistindo em quebrar a escuridão que me deixava tão alegre. As coisas sempre vêm insistindo contra mim. Não quero mais sentir aquele cheiro que não sai do meu peito latejante. Nem mesmo sei de onde vem, mas apenas vem e me envolve como uma carícia em meu rosto.

E pelo mais curto momento, tudo não é verdade.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Menina da janela



E a menina me olhando daquela janela,
simplesmente nunca me saiu da mente, não sei exatamente o motivo,
mas por cada segundo que ela me olhava por aqueles olhos
expressivos e emotivos meu corpo todo se voltava e estremecia.

Naquele momento eu não conseguia distinguir nada,
mas sei que ela já devia sentir o que a esperaria a partir daquele dia,
pois de alguma forma algo me dizia o mesmo.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

sábado, 9 de outubro de 2010

O pouco

A cada vez o pouco que me faz feliz em certa forma,
se torna apático. Nunca entendo o motivo, apenas se é, existe de alguma forma.
Por mais que o certo seja seguir, pular... apenas não faço.

A tensão pra desistir é maior e mais fácil, então apenas desisto.
Depois se torna tão simples o motivo, mas já cansei de apenas não seguir,
e o motivo não é maior, mas mata a vontade! Também deixa a vontade
de ter continuado, depois esta vontade passa, e fica apenas o ter continuado,
se torna uma necessidade maior.

Mesmo com vontade de continuar, não entendo os motivos de simplesmente desistir
daquilo que me faz feliz.

domingo, 26 de setembro de 2010

The Past



Percebi que muita coisa que deixo de fazer é apenas
pelo simples fato de que alguma vez, eu não tenha
conseguido fazer este mesmo ato.

Então se cria a ideologia de que não será possivel
nunca fazer a mesma coisa. A verdade é que fazer a
mesma coisa talvez não é algo tão bom, se eu estiver
com o pensamento de evolução como pessoa.

O fato: a situação que eu não consegui fazer, tinha um
motivo naquele momento, a idéia é que um momento nunca
acontece de novo. A partir de hoje a minha vida nunca será
mais a de ontem, então cada dia tem necessidade de ser
construido, estar preso ao que deixei de fazer ontem,
não vai me ajudar hoje, assim como esperar pra fazer amanhã
também não vai me ajudar hoje, afinal os momentos de amanhã
serão diferentes, talvez o sol esteja mais forte, talvez o vento
também ou talvez até chova.

Disso tudo, comecei a pensar sobre as coisas do passado que
me prendiam em certa coisa também, na verdade pessoas que
estavam ligadas à mim, hoje não estão. Acontece que esse
estavam me remete sempre ao sentimento que havia, e isto me
prendia. É como se cada pessoa que eu ja compartilhei um momento
segurasse uma ponta de corrente. Percebi que na outra ponta,
eu não segurava também, mas apenas me amarrava. Somente eu,
não havia mais importância pras pessoas o que aconteceu,
mas pra mim sim, e isto ainda me atrapalha muito à seguir em frente,
claro que muita coisa que já passou sempre vai valer a pena lembrar,
mas para guardar seus livros novos, vc precisa se desfazer dos velhos
que você nem mesmo lê.

O que eu fui ontem, o que eu fiz, como eu fiz. Só vai depender de mim
o quanto isto vai me fazer perder de viver o hoje, afinal muita coisa é
diferente, então parei de me lamentar se antes eu fazia isso ou aquilo melhor
que hoje, assim eu tenho tempo pra pensar no que eu quero fazer hoje,
e o que isso vai me proporcionar.

A primeira etapa foi perceber quem realmente faria diferença em segurar a ponta
da corrente, e cheguei à conclusão que para a maioria das pessoas não fazia di
ferença alguma. Qual o motivo de eu me manter preso então? pensei.

Começei a retirar as pontas de correntes das mãos das pessoas.
A sensação foi boa cada corrente deixada ao chão era um peso
a menos e uma leve flutuação. De certa forma removi as pessoas
da minha vida, e depois que fiz percebi que não existia mais o
motivo daquela pessoa estar na minha vida, somente a minha lembrança não
era motivo suficiente pra isto, deveria ser reciproco.

Deixar o passado foi a melhor coisa que fiz para começar o presente.

domingo, 12 de setembro de 2010

The Secrets - One Republic



Esta musica é tema do filme que está em cartaz O aprendiz de feiticeiro, muito interessante. Recomendo!
No filme a introdução da música é feita dentro de um laboratório, onde o ator, ativa um gerador de energia eletromagnética e usa bobinas Tesla, cada bobina produz um som, ele toca com a energia! irado!

sábado, 11 de setembro de 2010

Eu não posso , eu não devo , eu não tenho , eu não 
quero esconder dos segredos que ainda me lembro
não sobrou nenhum.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

flor de papel


Aquela gente toda, e toda aquela futilidade, já o enchia e sufocava seus olhos,
tudo o que estava à sua frente era turvo, e sem cor. Os sorrisos tão queridos,
lhe faziam também forçar um sorriso. Enquanto sorria se sentia menos infeliz, mas nem
mesmo o som agradável, lhe parecia tão bom, foi em um canto, precisava de algo para beber,
nem mesmo queria beber, mas tinha que sentir algo ali dentro, talvez sentir aquele gosto,
lhe faria melhor.


Enquanto esperava observou uma rosa, parecia macia, e a rosa se mostrou com mais ramos, sabia que a rosa desejava suas mãos, e tua voz, ele apenas parou de olhar, e seguiu seu caminho.

Pegou alguns guardanapos de papel e guardou no bolso da frente, ja até sabia  o que ia fazer,
mas o que seu coração desejava no fundo, não era fazer.

Por um momento, precisou se recuperar daquilo tudo, se afastou de todas as mascaras que ali estavam.
Em suas mãos aquele pedaço de papel, que ainda não tinha visto gosto ou palavra alguma, se conservava tão puro, tomava forma.

Talvez parecesse perfeito, e seu coração talvez desejasse estar ali borrado, mas ainda não estava, pois
o jovem nem mesmo sabia onde ele estava , quanto mais o seu coração.

Observando, aquela flor intocada em sua mão, não achou necessário, que ela se perdesse. Guardou-a no bolso.

A espera foi longa, e a procura de quem pudesse receber, foi falha, talvez ninguem fosse merecedor.
Já tinha desistido, mas achou que aquela voz que pelo menos o fazia sentir pouca coisa, mas fazia, deveria tocar a flor. Não, a sua cor se fez em meio ao ambiente escuro , parecia tão feliz, que deveria ser grata.

Refazendo as pétalas que ja estavam deformadas, andou, pensou tanto, imaginou tanto. Seus lábios se descerram, e apenas questionou, e simplesmente o pedido foi negado, a aceitação foi forma de caridade por olhos alheios que brilhavam com o gesto, as mulheres são engraçadas as vezes.

Nesse mesmo instante aquela flor se desfez, e se tornou apenas um pedaço de papel.

Então o jovem percebeu, faltavam espinhos na flor que havia entregue.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Ahh o som do Violino



este som ainda continua sendo o mais encantador, só o que supera, seria o teu timbre!

quinta-feira, 3 de junho de 2010

O que foi parte e fato

Lembro me que antes acontecia com calma e ternunara,
chamas intensas que nasciam e me brilhavam os olhos.
Lembro me que o simples canto era melodia incrível ao meu tom.
Também aconteciam paradas no tempo, sensações de mato molhado
entre os dedos, Lua no céu.


Lembro que um dia o tempo parou e girou em minha volta, e nesse momento,
eu me queimava nas pontas dos dedos novamente, que tinha vontade de escrever
em pedras para que fosse eterno, quando na verdade nem mesmo existia.

Lembro que simplesmente por ser tão bela , a imagem se distorcia e achava o lugar mais
longe dentro do meu peito, me estremecia. As âncias eram contínuas, os medos eram grandes,
as pressas eram rápidas demais pra mim, que eu nem mesmo cheguei uma vez a parar.
Mas de tudo eu tinha tudo, meu coração era chama, e orvalho.

Lembro que o rosto junto era na verdade a vontade de juntar o coração, e não somente o rosto, que se
separou com lagrima e incompreensão. A vontade de ser primeiro era esperada demais, que veio à mim,
de uma forma tão simples, o lábio que cerrado se encontrava, devagar se acostumava com aquele lugar
vazio demais, mas ainda era quente e aconchegante.

Cada som de sino , se fazia mais inaudível e esquecido por cada segundo que se respirava.. talvez a vida não fosse tão como aquele soar tão esperado. Apenas se ouviam barulhos, tão confuso, tão estranho.. tão imerso.

Lembro me da vontade e da sinceridade que existia, também dos abraços mal dados, e desajeitados demais para se abraçar...

Também foram muitos dias esperando, apenas por um medo simples e irrisório de errar , novamente, mas esse foi o erro, que se tornou prova, nem sei mesmo o que aquele momento me fez provar...

Hoje o que era fogo  congelou e se tornou vazio, tão frio e vazio que os lábios secam pela ansia de se cortar.
Aquela mesma chama, é discernimento, analizes, probabilidades. Se considerada falha, a tentativa se torna até mesmo desnecessária. O resultado se torna previsivel demais

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Fixo



Devagar, o vagão ia subindo pelo seu trilho, puxado pelas correntes tracionadas....

a angustia, o medo, e a tensão aumentam à cada espaço percorrido.

A lua tão grande parecia se aproximar , conforme eu subia, resolvi não pensar em mais nada, e
simplesmente fixei e meu olhar para cima, no brilho branco que me prendia. Fechei os olhos e cai...

domingo, 23 de maio de 2010

...

E então a cada segundo, a mesma angústia que apertava a sua voz,
era nada mais que saudades de algo que nem sequer sentiu,
mas que foi intenso o suficiente para o deixar desacordado,
e não entender qual era sua realidade, pois se fosse por justiça
a outra realidade, a qual se demorou para perceber entre as lágrimas,
era a falsa. Mas naqueles instantes falsos, se contiveram alegrias de
uma vida inteira.

Pq não poderia ser mais justo e simplesmente não existir aqui?

Os sorrisos brancos são muito luminescentes, e os olhos chegam arder com aquele brilho.
O sorriso que não se ganhou, cortou mais que o vento frio que soprava daquela rua escura.
Mas esta é a realidade onde se vive, entre os sorrisos que nunca são de verdade os meus.

sábado, 22 de maio de 2010

menina singular

''Você já me viu sério, já me viu de porre, me viu fazendo drama, por sua desordem... Mas triste, isso eu nunca quis que você visse''


Acho o mais estranho em te ver triste, é que eu sinto como se te conhecesse a minha vida toda, e te entendesse de um jeito que estivesse ao teu lado sempre, mas apenas te observei de um modo que eu não imaginava que observaria, mas nunca estive ao teu lado como eu achava que estaria. Mas estava ali esperando por tudo, sentindo algo que nunca achei que sentiria, o teu pranto, me deixa confuso, e digo novamente, apenas não entendo, pq ocorre tudo isso, se apenas se prende à um fio!

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Mais do mesmo!


Realmente estar feliz e estar bem, não dizem a mesma coisa, e nem caminham junto!

Estar bem fez parte de acontecimentos, que na verdade me concederam um pouco sim de felicidade,
mas acho que pra eu estar feliz realmente ainda faltam alguns elementos nisso tudo.

Ou talvez eu simplesmente não esteja feliz, por esperar como pode ser uma felicidade, ou idealizar a tal.
Bom acho que o que eu idealizo não é algo tão glorioso ou tão diferente do que alguém precisa para se sentir feliz de verdade. Estar bem fez parte de um processo:

Love ?



Dicionário Michaellis diz:
amor
a.mor
sm (lat amore) 1 Sentimento que impele as pessoas para o que se lhes afigura belo, digno ou grandioso. 2 Grande afeição de uma a outra pessoa de sexo contrário. 3 Afeição, grande amizade, ligação espiritual. 4 Objeto dessa afeição. 5 Benevolência, carinho, simpatia. 6 Tendência ou instinto que aproxima os animais para a reprodução. 7 Desejo sexual. 8 Ambição, cobiça: Amor do ganho. 9 Culto, veneração: Amor à legalidade, ao trabalho. 10 Caridade. 11 Coisa ou pessoa bonita, preciosa, bem apresentada. 12 Filos Tendência da alma para se apegar aos objetos. Antôn: aversão, ódio. sm pl 1 Namoro. 2 O objeto amado. 3 O tempo em que se ama. 4 Relações ilícitas, comércio amoroso. 5 Mit Divindades subordinadas a Vênus e Cupido. 6 Bot O mesmo que carrapicho, acepção 11. 7 V carrapicho-grande. A.-agarradinho, Bot: trepadeira da família das Poligonáceas (Antígonon leptopus), originária do México, muito cultivada nos jardins brasileiros com fins ornamentais. A.-crescido, Bot: o mesmo que cavalheiro-das-onze-horas. A. lésbico: o mesmo que safismo. A. livre: relações sexuais ou coabitação sem casamento legal. A. platônico: relação estreita entre duas pessoas de sexo oposto, sem realização de atos sexuais. A.-seco, Bot: o mesmo que carrapicho-de-beiço-de-boi. Pelo amor de Deus: usa-se quando se pede com encarecimento. Por amor à arte: gratuitamente, sem nenhum interesse. Seja tudo pelo amor de Deus: exclamação com que se manifesta conformidade ou tolerância com o impróprio ou com o desagradável. Ser do amor, gír: só quer saber de prazeres sensuais.

Amor próprio é uma forma de amor, que nós esquecemos, quando alguem nos pergunta:
 - Vc ama?

O óbvio é responder baseando-se em outra pessoa. Percebe como que isso influencia em uma simples resposta, amor é algo tão simples, mas que tem uma complicação toda para esta simplicidade. A resposta deveria ser indiferente e independente de qualquer pessoa a não ser você. Até Deus nos manda amar ao próximo como a ti mesmo. "Como a ti mesmo" por vezes se ama o próximo, mais que a ti, e se tem um ideal de que o amor ao próximo é mais importante, assim pessoas , esquecem de si, esquecem do que gostam, se preocupando em somente agradar a outras, sendo estes , amigos, parceiros, parentes. Acho que com esse comportamento perdemos um pouco do que se pode dizer identidade, pessoal. Não penso em entrar nesse assunto. Afinal hoje em minha postagem quero ser menos indifente a mim mesmo.

ó.dio
sm (lat odiu) 1 Rancor profundo e duradouro que se sente por alguém. 2 Aversão ou repugnância que se sente por alguém ou por alguma coisa. 3 Antipatia. Antôn: amor, afeto. O. de morte: ódio intenso, aversão mortal. O. figadal: o mesmo que ódio de morte.

Não entendendo o que é verdadeiramente amor, fica facil assimilar o que é ódio.
Com uma simples comparação do que a língua portuguesa diz sobre amor e ódio, fica bem mais fácil odiar, não concorda?  A verdade , é que o não entendimento do amor, pode se transformar em ódio, a falta também do amor, se transforma em ódio. Mas é claro que tem explicação cientifica, ou como cita meu companheiro de blog, Hell, forma nerd de ser. O amor e ódio utilizam as mesmas vias no seu cérebro para serem processadas, levando em conta que quando vc sente emoção, e claro o coração não tem capacidade de sentir, é apenas uma forma figurada, o cérebro que absorve, processa e responde.

O nosso corpo humano é a maquina perfeita criada por Deus, que acho eu que em sua infinita sabedoria, criou formas de manutenção preventiva, afinal ninguém quer criar uma máquina para simplesmente não funcionar. Pois bem.

I hate, but i always love


O ódio é uma forma simples de defesa do nosso corpo e mente, pois apesar de utilizar os mesmos receptores e transmissores do amor, no ódio outros receptores e outras áreas do seu cérebro ficam mais dispostas a funcionar, como o seu pensamento analítico, que vai te dar todo o remake e claro os feedbacks. Assim você tem a capacidade de pensar melhor sobre o que acontece , planejar , calcular, e até mesmo produzir formas de vingança.

Esta forma de defesa, existe na verdade para ser usada poucas vezes, passando um tempo ele faz mal ao seu corpo, afinal todos fomos criados por amor, e para amar, assim este sentimento considerado ruim é na verdade maléfico também, a sensação de sua pele estar congelando, seus dentes mais rígidos, seu torax com uma pressão apertada e intensa, parecendo explodir é causado pela dilatação dos vasos sanguineos, afinal seu cérebro precisa de mais sangue ( na verdade mais oxigênio, pois esta é a função do sangue no nosso corpo, dentre outras) para fazer as sinapses nervosas mais rápido, com isso o sangue circula um pouco mais rápido, por isso parece que o coração literalmente queima. Resumindo, o ódio pode te matar, fisiologicamente falando.

Apesar de tudo isso, o ódio existe, para você analizar a situação que acontece.Se você só sentir o amor, não vai ver algo que te prejudica com tanta facilidade. É necessário mas tem de ser controlado.
Na minha infinita situação de introversão, quando me tomo por este ódio pensativo, é comum bloquear toda forma de fluxo de energia que se aproxima, falando mais simples, eu afasto as pessoas um pouco. Afinal se eu não realmente me isolar não vou conseguir refletir de verdade. Mas isto é perigoso, pois quanto mais afastado, menos amor. Aprendi que posso explicar isto aos meus verdadeiros amigos, claro, a compreensão deles exige um esforço, costumo dizer que quem realmente é meu amigo, é pq realmente quer.
Nesse tempo, a cooperação insistência da amizade é importante, ou seja, outra forma de amor, se implica nesse processo , mas chegando externamente, aos poucos meus pontos de reflexão vão se formando linhas, e assim com os contornos pré-definidos , eu digo aos meus amigos : - Olá pessoal, eu acho que estou de volta.
Realmente pode ser dificil entender, afinal meu temperamento está apenas em uma em cada quatro pessoas no mundo.
Parece uma sindrome de dupla personalidade, na verdade não existe nada disso, simplesmente somos movidos por energia, esta parte eu nunca vou esquecer da Ecologia. Bom vou falar rs...

Fluxo de energia


O sol é inicio de tudo aqui no nosso planeta, ele produz uma energia intensa, e em ondas, é claro que é a luz. Esta luz apesar de abundante, é considerada de má qualidade , pq ela não faz nada sozinha precisa de ser transformada. Bom, as plantas absorvem a energia do sol, fazem fotossintese, e outras coisas, quando a luz entra na planta, ela é convertida em energia de boa qualidade, cada célula , animal ou vegetal, possui energia, e fabrica energia. Por isso na cadeia alimentar, as plantas são consideradas os produtores primários. O animal pequeno, vai consumir esta planta, consumindo assim a energia que foi filtrada e armazenada na planta, por isso o consumidor primário.

E dai? bom, considerando que somos seres onívoros, e comemos carne e vegetais, se você não come por escolha sua, bom , o problema é seu, você foi feito assim.
Então somos reserva de energia ambulante, considerados pelo ecossistema como biomassa viva.
Considerando isto, é a forma de afirmar que você possui energia, ou Chi, Chakra. Pode escolher o nome.
As pessoas possuem energia, não existe como quantificar exatamente a quantidade, mas sei que eu e todo o um quarto do mundo, considerado introvertido, possui menos energia que o resto das pessoas. Não existe forma de aumentar, nem fazer nada, isto é o temperamento que nascemos com ele, e sempre seremos assim, ou você acha que você foi criado sem um padrão, seria meio , digamos bagunçado né? Este temperamento que falo é bem diferente da personalidade, esta, você constroi com suas experiências de vida, e etc.
Imagine que você é uma garrafa, e você enche esta garrafa com energia. Fácil né, mas esta garrafa não tem tampa, então energia externa também entra. É assim que funciona um introvertido, simplesmente a garrafa é menor, e quando se tem muita energia externa entrando, ele enche, e implode. De for a pra dentro, exatamente.

O extrovertido, tem a garrafa maior, por isso precisa de estar entre muitas pessoas, pois precisa de mais energia, para encher sua garrafa.

Ao encher a garrafa, o introvertido simplesmente tem de achar um jeito de esvaziar, e rápido, pois está bastante saturado, não consegue mais pensar em energia, por isso simplesmente se afasta, não atende ligações, não aparece na sua casa, as vezes até mesmo internet, msn é irritante. Se você tem um amigo introvertido, e ele se afastar, acredite ele te considerar , gostar de você, te amar, não tem nada a ver com ele não estar presente.

Quando a garrafa esvaziar, geralmente voltamos ao assunto sobre o ódio do outro post, é o momento de esvaziar a garrafa, pensar, refletir, pausar. Quando terminar, ele volta a ser sorridente , companheiro, ouvinte, e tudo que o introvertido tem de bom. Acha ruim?

E vc extrovertido, que acha que todo mundo quer te ouvir o tempo todo? sinceramente as vezes vocês falam demais e são chatos, com sua forma extrovertida de ver o mundo. [rsrs]

sábado, 27 de março de 2010

Um pedaço da torta

O que deve pensar, no que deve se espelhar, se torna reflexo simples

Dentro disto tive mais uma certeza, que meu coração não se faz em pedaços ou em porções de ternura, ou seja inteiro ou não consegue ser.

Simplesmente não se tem motivo para dividir e quebrar o que se tem por molécula ou pedaço inteiro, a necessidade do inteiro, não se supre por divisão ou se mantém contido em apenas pensamentos.

Se o teu olhar de palavras, não me deixa os olhos, meias palavras não podem me bastar.
Se a força do teu toque, não me pesa, leveza ou indecisão, não podem me bastar.
Se apenas o que eu falar a ti, seja curto e educado, ou até previsivel, o meu peito se explode.
De maneira simples, mas é mais real.
O que se toca e se sente, na verdade é projeção do que se quer em apenas um olhar dizer, ouvir,
Declarar.

O gosto, talvez insistido não veio apenas por calor, mas se tornou frio, como senti meu peito.


Não sendo inteiro, apenas se desfaz, como cinza que cai do meu fogão.



sexta-feira, 5 de março de 2010

Apple Pie

Gosto um pouco de cozinhar, até mesmo inovar algumas coisas, é pena que minhas inovações nem
sempre fiquem tão como esperadas, mas já me acostumei, não tem jeito quando não dá,
nem adianta tentar insistir.

Mas do que mais gosto de fazer, é algo que sempre via na tv, nos desenhos animados, e até alguns filmes, aquela torta de maçã "Apple Pie" .

Não é comum dos meus posts, mas isto também é um retrato do meu eu, acho justo ter um espaço por aqui!


Massa
1 xícara de maisena
2 xícaras de farinha de trigo
1 colher de fermento [ se adiantar dizer, de sopa, eu nunca sei mesmo, pego a primeira na gaveta ]
1 colher de chá [ importante, essa é daquela que se usa pra comer doce , da menorzinha ]
3 colheres de açucar [ colher daquela normal mesmo ]
2 gemas [ tem de separar da clara, com técnicas jedi ]
2 colheres de manteiga
1/2 xícara de óleo
1/2 xícara de leite

Recheio
8 maçãs descascadas e fatiadas , ou cortadas em cubo
2 colheres de suco de limão
1 1/2 xícara de açucar
2 colheres de manteiga
4 colheres de maisena
2 colheres de canela em pó
1 gema pra pincelar [ só faça se tiver um pincel especificamente para cozinhar ]

Preparo
Descasque as maçãs, fatie, tire as sementes e os pedúnculos [ os talinhos ], adicione o suco de limão, reserve em uma vasilha, e misture.

Massa
Peneire junto, a maisena, o trigo, o fermento o sal e o açucar, e reserve.
Bata em creme as gemas, a manteiga, o óleo e o leite. [ em uma vasilha alta, ou copo, pq espirra muito,
vc bate com um garfo, até virar um creme ].
Agora jogue na vasilha com os ingredientes que você peneirou, e vai misturando com as mãos, até que vire uma massa, que começe a desgrudar do fundo da vasilha. [ vai amassando a massa, contra o fundo da vasilha, maltratando mesmo ].

Recheio
Misture o açúcar, a manteiga, a maisena e a canela, misturando bem[vai misturando até a manteiga se desintegrar].
Jogue na vasilha com as maçãs e vai misturando bem.

Montagem
 Agora vem o teste de paciência, divida a massa no meio. Coloque a metade em um refratário [ forma de vidro ] de 30x20 cm. [ é aconselhavel medir com auxilio de régua ], coloque a massa no meio, e vai abrindo em direção às bordas, pra forrar o fundo, vai com calma e use seu cérebro feito pra calcular volume e espaço super desenvolvido que você consegue.
Jogue o recheio, é aconselhavel ir colocando os pedaços primeiro, e arrumando na forma, depois o caldo jogue em cima.
Depois de testes, no laboratório de casa, desobri um modo muito simples pra colocar a tampa.

Pegue um filme plástico, e abra sobre uma superficie plana, o tamanho do filme, deve ser um pouco maior que o da forma. Agora coloque o resto da massa em cima do filme, e vai abrindo, até ficar um pouco maior que a parte de cima da forma. Otimo, agora é só pegar com cuidado nas pontas e colocar em cima da forma e fechar, as partes que sobraram para fora, você vai usar pra fechar os buracos que ficaram ai. Nada de fazer tirinhas.

Asse em forno médano [ quase mais alto ], por cerca de 30 min, bom é aconselhavel depois de 20 min dar umas olhadinhas de vez em quando, até as bordas ficarem meio amarronzadas, pq se ficar preto é por que já está queimando!!

Divirta-se

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Que seja "Terno" enquando "Duro"


A capacidade de nossa escência , é incrivel
somos do jeito que sempre fomos, o ser humano tem sim
muitas capacidades, principalmente a de fingir, alguns fazem
isso tão bem, que acabam se esquecendo como é ser de verdade,
ou talvez esquecem o que é ser autêntico. Isto não é pecado, ou erro fatal
é certo que todos passamos por divergências pessoais, um certo conflito
dentro de vc, alguns caracterizam isso como "lobo interno" (isso é meio Americano demais),
tem várias formas de se figurar esta questão. Mas indo ao ponto principal,
o importante é se indignar afinal " a indignação é o primeiro passo para uma mudança", frase
esta que é uma das mais sabias que já vi nas "frases de msn", temos de passar por um processo
de indignação verdadeira e descontentamento, para se enxergar com clareza.

Por mais que pareça ser mais fácil ser diferente do que se é verdadeiramente, acredito e experimentei, que encontro a felicidade sendo o que eu verdadeiramente sou facilmente, pode ser confuso pensar assim, mas não temos que ser de.., não temos de fazer como.., o importante é entender como seus problemas internos são criados, e como se pode resolver isso melhor, do jeito que vc fique feliz de verdade, afinal quando se está fazendo a coisa certa realmente, vc fica feliz sem perceber. E o certo, é o que vc caracteriza como o tal, não o certo do outro, pois o outro também deve passar por problemas , diferentes tbm, mas sempre se tem, e ele vai encontrar o jeito dele, de resolver.

Como uma amiga, que sempre me conhece pelo que sou, principalmente quando tento não ser: - Você pode tentar, mas sempre vai ter ternura em você. Eu respondi , tentando ser mais frio e intriseco : - Você leu minhas ultimas postagens no meu blog, como estão revoltantes e insensiveis? ela simplesmente me responde: - Você é terno simplesmente por ter um blog.

Bom na verdade ter um blog, pra escrever e nem se importar se álguem vai ler, não é necessariamente característica de ternura (rs), mas eu sou sentimental incondicionalmente, essa é minha essência, então nada melhor que saber usar isso pra eu me ajudar, e crescer com a minha vida. Que por acaso esta meio avoada ultimamente.

agradecimentos à May

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Distorce The obscure Lake

Hoje me perguntei sobre o necessário da vida,

sobre como pode , cada dia ser tão meticuloso , ao ponto de
se repetir , gradativamente , em cada detalhe.

nada se fazer novo, seria algo impossível, mas a verdade que
não entendo bem o motivo, de eu estar, no meu interior, a cada dia
querendo na verdade que não se faça novo, talvez por esperar algo,
que torne meus dias únicos.

exatamente isto que torna tão complicado, não é possivel simplesmente acordar
sentir o sol, sair na rua, olhar as pessoas com suas vidas, e não sentir a hipocresia
que torna ao redor de cada um?

se torna dificil, por cada segundo , olhado e dirigido aos alheios,
uma necessidade iquestionavel, se destroça dentro do meu peito,
não se distinguindo em forma alguma, apenas sente mais que
meu próprio sentido ou sentimento,
talvez isto seja finalmente a parte normal, se perguntar quem sou,

não quem penso que sou, mas quem sou de verdade, ou mesmo
do que eu gosto de ter , fazer, observar, de ser, realmente.

se torna nublado à cada passo andado para um caminho, seria uma simples estrada,

a verdade é que se torna uma ponte muito extensa, sobre um imenso lago,

quando olho pra água ao redor, nem sempre vejo meu reflexo, mas o que vejo
é uma distorção de imagem, se afogando, na mesma água calma , e aparente inofensiva.

se eu desviar os olhos da água, parece que tudo se torna normal, ou fantasioso demais
pra eu enxergar, seja qual for, o que se afoga de mim, esta submergindo de uma forma
rápida, e conflitante!

mas continuo andando somente pela ponte, parece mais segura, até o momento que eu sentir a água gelada sobre meus pés, descalços.

domingo, 24 de janeiro de 2010

insen*



Apenas hoje não consigo entender os motivos da vida, que vivo, que vivi, os motivos pelo qual faz cada susurro, respiro ter sentido.

esta abstinência de sentimentos, antes deveria me corroer, enforcar..
mas apenas se torna fatídico, ao mesmo tempo, isto me traz um sentimento estranho,
é como se algo me dissesse que eu nao preciso.

sentir, mas sim me preocupar em agir, talvez isso explicaria o vazio?
acho que isso não resolve nada, a verdade e que eu me sinto muito diferente do que sempre senti antes, não vejo mais cor, as sombras se tornaram tão amigáveis ultimamente.

as pessoas que estão em volta de mim, são como pontos individuais, e com linhas paralelas, e fixas ao chão, se resume a pontos fixos e imóveis, também não entendo.
eu não consigo ver através de uma face, ou então mesmo, uma face não me diz tanta coisa.

talvez nao deva me preocupar tanto , afinal todo mundo passa por fases de insensibilidades

no entanto o mesmo sentimento de incompreensão é o que me traz um sentimento pacifico!
..